domingo, 29 de novembro de 2009

THOR - Parte 148

- Thor Son of Asgard 10 a 12 (Janeiro a Março de 2005)

Histórias:

* "Worthy: Part 1 a 3" - Escrita por Akira Yoshida e desenhada por Greg Tocchini

Digno.

A última história publicada na (que se tornou) maxissérie Filho de Asgard, conta como Thor conseguiu levantar, pela primeira vez, o martelo encantado Mjolnir. O escritor Akira Yoshida amarra esse acontecimento a uma antiga história dos anos 60, quando o personagem era escrito por Stan Lee e Jack Kirby, mais especificamente em um dos primeiros Contos de Asgard. Trata-se do resgate de Lady Sif das garras da deusa da morte, Hela. Na época (e, curiosamente, apenas naquela história), todos os personagens tinham um visual bem diferente do que seriam conhecidos.

As incessantes tentativas de Thor em levantar o martelo encantado parecem começar a surtir efeito. Porém, um dia, ao retornar a Asgard, o jovem príncipe encontra o reino sendo atacado por gigantes. O saldo negativo da batalha é que eles levaram Lady Sif como refém. Furioso e decidido a salvar aquela que está se tornando sua amada, Thor finalmente consegue empunhar o martelo.

Chegando ao reino dos gigantes e empunhando a nova arma, Thor descobre aos poucos os poderes que ela traz. Graças ao martelo, consegue invocar e direcionar trovões e derrotar gigantes. Também descobre que, ao lançá-lo, o martelo o leva junto como se estivesse voando. Ao chegar a sala do trono do rei dos gigantes, Thor descobre que Sif foi negociada e oferecida a Hela, a deusa da morte.

Thor invoca Hela e percebe que, mesmo com o martelo encantado, é incapaz de derrotar divindade tão poderosa. Então, em uma atitude nobre, oferece a si mesmo para a morte, em troca da liberdade de sua amada. Hela, inicialmente, comemora sua vitória... mas tamanho ato de nobreza é capaz até mesmo de tocar a morte, que acaba perdendo a coragem de levar o tão corajoso príncipe.

Livres da morte, Thor e Sif partem do local e percebem que o que havia entre eles, naquele período, era algo mais forte do que uma simples amizade.
*

Nenhum comentário: