domingo, 15 de novembro de 2009

THOR - Parte 141

- Thor 80 (Agosto de 2004)

Histórias:

* "Ragnarok, Part The First" - Escrita por Michael Avon Oeming e Daniel Berman, desenhada por Andrea Di Vito

Ragnarok. (de novo). E o fim da revista do Thor. (de novo, também).

A última saga apresentada na revista do Thor tenta dar um fim ao personagem, fazendo parte da reformulação planejada ao personagens do grupo Vingadores (dentro da Saga Vingadores - A Queda), do qual o deus do trovão fazia parte. No entanto, essa saga pode ser lida independente das apresentadas nas revistas de seus colegas de grupo. Mas chega a ser tão independente que ignora diversos detalhes da cronologia do personagem. A própria participação dele nos Vingadores é uma delas. Na última vez que foram visto juntos, Thor, Homem de Ferro e Capitão América terminaram uma amizade de décadas... algo que foi reatado aqui sem muita explicação ou pedido de desculpas.

O escritor Michael Avon Oeming, apesar do brilhante trabalho de adaptação do Ragnarok, espécie de fim do mundo para os deuses nórdicos, parece pouco se importar com uma pesquisa das histórias passadas do personagem, fazendo uma espécie de resumão sem apegar-se a detalhes. O resultado é uma história que agrada o leitor pouco acostumado com o personagem, sendo digno até mesmo de figurar em uma edição encadernada, mas que irritaria um seguidor puritano dos quadrinhos ou algum fanático asgardiano.

Um destaque para essa fase é a arte do desenhista italiano Andrea Di Vito (sim, dO italianO... não se engane pelo nome... não é uma garota). Além do capricho necessário para desenhar paisagens e personagens típicos de Asgard (uma vez que a história se passa toda naquele ambiente), as cenas que apresenta ficam realmente empolgantes e chocam quando o roteiro pede isso. A visão que ele dá para a cidade dos elfos de Asgard em muito lembra a da trilogia cinematográfica "Senhor dos Anéis", algo que o próprio Oeming pode ter influenciado, uma vez que a obra é uma das claras influências dessa saga.

Segundo a lenda, Loki a muito procura pela forja mágica responsável pela criação do martelo encantado de Thor. Após muitos anos em que os anões responsáveis pela criação da arma tentaram escondê-la, Loki finalmente consegue colocar as mãos no artefato e o resultado é o início do fim dos deuses. O vilão cria não um, mas vários martelos encantados, tão poderosos quanto o de Thor, e os dá para seu exército (formado por antigos inimigos do deus do trovão). Dotado de tal poder de ataque, Loki destrói todo o reino dourado e a força da guerra de martelos mata vários asgardianos. Uma das baixas de guerra é Lady Sif, que não é morta, mas tem um dos braços decepados na força da batalha.

Thor vê, horrorizado, o ataque cruel de seu irmão, que é auxiliado, entre outros, pelo troll Ulik e pelo deus lobo Fenris (filho de Loki que, ironicamente, chega a chamar Thor de "tio"). No meio da batalha, o martelo encantado de Thor é despedaçado e o deus do trovão conta apenas com sua experiência como guerreiro para enfrentar os inimigos. No desespero da luta, Thor se teleporta para a Terra, onde convoca seus amigos vingadores, Homem de Ferro e Capitão América, para ajudar.

Continua...
*

Nenhum comentário: