sábado, 12 de setembro de 2009

THOR - Parte 81

- Avengers 1 a 3 (Fevereiro a Março de 1998)

Histórias:

* "And There Came A Day" - Escrita por Kurt Busiek e desenhada por George Pérez

* "The Call" - Escrita por Kurt Busiek e desenhada por George Pérez

* "Fata Morgana" - Escrita por Kurt Busiek e desenhada por George Pérez

Uma vez Vingador...

A nova revista dos Vingadores, inclusive iniciada com numeração nova, surgiu como uma espécie de epílogo para Heróis Renascem / Heróis Retornam. É a primeira edição onde a maioria dos heróis Marvel aparece após voltarem da dimensão alternativa criada por Franklin Richards.

Pode-se dizer até que é o fim de uma era, onde a editora tenta colocar mais qualidade em seus títulos, diferente da direção anterior onde o foco era apenas desenhos visualmente chamativos, mas nem sempre de qualidade. Apesar disso, a bela e detalhista arte de George Pérez é um espetáculo a parte. Auxiliado por um competente roteiro do escritor Kurt Busiek, o desenhista enche as páginas da revista com o máximo de heróis que já fizeram parte dos Vingadores, por mais obscuros que possam ter sido.

Aqui também é respondida a questão sobre o paradeiro de Thor. Afinal, no final da minissérie Heróis Retornam, o deus do trovão se engalfinhou com o vilão Doutor Destino e, juntos, desapareceram num clarão para uma localização desconhecida. Thor ressurge repentinamente na mansão dos Vingadores, com seu uniforme esfarrapado e barba desleixadamente crescida, explicando o que ocorreu desde seu último paradeiro.

Após a luta com Destino, Thor foi misteriosamente jogado para Asgard. Mas, diferente do reino dourado de outrora, essa Asgard está totalmente destroçada e sem nenhum sinal de seus habitantes (vivos ou mortos). Na história, Thor mostra estranheza por ver seu reino natal destruído, mas o leitor mais atento lembrará que Asgard foi destruída anos atrás, antes de Thor ser enviado para a dimensão de Heróis Renascem após o conflito com Massacre. Ao procurar por algum asgardiano, Thor descobre que a espada Crepúsculo, criada pelo demônio Surtur, sumiu sem deixar pistas. Sabendo do poder destrutivo da arma, Thor preocupa-se com seu paradeiro e retorna a Terra para alertar seus colegas Vingadores sobre o perigo que os aguarda.

A autora do roubo da espada Crespúsculo é ninguém menos que Morgana Le Fay (sim, a mesma personagem das histórias do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda) que, juntamente com o poder místico da Feiticeira Escarlate (que foi sequestrada), remodela o mundo em uma versão "idade média" tanto da paisagem quanto dos heróis. Esses, inclusive, em suas versões medievais, também têm suas memórias apagadas e se tornam servos de Morgana. Um a um, começando pelo Capitão América, os heróis vão recuperando a memória e virando-se contra a vilã.

Apesar da qualidade da história, chega a ser irônico ver os heróis novamente presos a uma dimensão alternativa. A certa altura dos acontecimento, há até mesmo uma observação deles sobre isso. Um ponto curioso a parte é ver como ficariam os uniformes de diversos personagens caso eles existissem na era medieval. Isso se torna outro grande atrativo graças a arte e criatividade de Pérez. Aliás, na dimensão criada por Morgana, Thor é chamado de Donar, um dos nomes pelo qual o deus do trovão é conhecido na mitologia. Prova de que a pesquisa para elaboração desta aventura não se reflete apenas no detalhismo da arte.
*

Nenhum comentário: