segunda-feira, 7 de setembro de 2009

THOR - Parte 77

- Avengers 8 a 11 (Junho a Setembro de 1997)

Histórias:

* "Shadowplay" - Escrita por Walt Simonson; desenhada por Michael Ryan

* "Shadowbox" - Escrita por Walt Simonson; desenhada por Michael Ryan

* "Shadow War" - Escrita por Walt Simonson; desenhada por Michael Ryan

* "Shadow Victory" - Escrita por Walt Simonson; desenhada por Michael Ryan

Walt Simonson e Michael Ryan.

A volta do escritor Walt Simonson! Quem diria... Fez-se uma década desde que Simonson escreveu uma ótima fase da revista do Thor. Mas, como nem mesmo essa revista existia mais, sobrou a ele voltar a escrever o deus do trovão... na revista dos Vingadores.

Simonson, acompanhado do desenhista Michael Ryan, direcionou a revista (ou o que restava dela...) para concluir os planos de Loki. O vilão tinha ciência de que aquele mundo não era o dos heróis que conheciam. Não havia, por exemplo, Asgard ou mesmo Odin. Só havia Thor, que agia nos Vingadores. Mas... esse Thor... era um tanto... agressivo. Agia como se fosse um viking, no pior sentido da palavra. Era fissurado em três coisas: saques, destruição e orgias! Várias vezes teve que ser contido para não matar seus inimigos... e isso acabou por deixá-lo entediado e afastando-o do grupo. Que Thor era esse, afinal?

O reator atômico que havia sido desativado pelos Vingadores em edições passadas começa a agir estranhamente, mostrando imagens de inimigos que já não existiam mais... se é que já existiram algum dia. E, do meio desse reator assombrado surge... Thor?!?!? O verdadeiro Thor! Ou algo que lembre o Thor nobre que os leitores conheciam. Explica-se: ao que tudo indica, todos os heróis desse novo mundo são cópias (versões) dos heróis do Universo Marvel tradicional. Esse mistério começa a ficar mais claro na cabeça dos outros personagens, além do que agora temos um "Thor do bem" tentando conter um "Thor do mal".

Loki, que está mais a par de toda a situação em que esse novo mundo se encontra, começa a "desencarnar" as versões dos personagens da Marvel (começando pelos vilões) afim de reunir energia para conquistar esse novo espaço (já que, como dito, não havia Odin ou sequer outro asgardiano para impedi-lo... a não ser o Thor que estava mais interessado em sangue do que em ser herói).

O "Thor do mal" percebendo a encrenca em que se meteu (e, acima de tudo, doido por esfacelar a cabeça de Loki), acaba se sacrificando em batalha, sobrando apenas a "versão que vale" de Thor.

Isso é Simonson tentando dar um pouco mais de dignidade ao personagem com o qual fez fama, lembrando os dias de heroísmo ingênuo da década de 80 e exorcizando o excesso de violência desmedida dos anos 90.
*

Nenhum comentário: