segunda-feira, 31 de agosto de 2009

THOR - Parte 70

- DC Versus Marvel / Marvel Versus DC (Fevereiro de 1996 a Maio de 1996)

Histórias:

* "Round One" - Escrita por Ron Marz e Peter David; desenhada por Claudio Castellini e Dan Jurgens

* "Round Two" - Escrita por Ron Marz e Peter David; desenhada por Claudio Castellini e Dan Jurgens

* "Round Three" - Escrita por Ron Marz e Peter David; desenhada por Claudio Castellini e Dan Jurgens

* "Round Four" - Escrita por Ron Marz e Peter David; dsenhada por Claudio Castellini e Dan Jurgens

Marvel Versus DC

Imagine Homem Aranha e Super-Homem. Ambos são super-heróis. Até aí, todos sabem. O que acontece é que cada um desses personagens pertencem a mundos diferentes. Ou melhor, universos diferentes. Para descomplicar, basta entender que cada um desses personagens são publicados por editoras diferentes, empresas diferentes. E, obviamente, por terem cada uma delas personagens tão famosos, essas duas editoras, respectivamente a Marvel e a DC Comics, eram as principais rivais no mercado dos quadrinhos. A "audiência" do público leitor sempre foi acirradamente disputada por ambas, de modo que um encontro entre os seus personagens, algo que parecia impossível devido a rivalidade entre elas, era algo que o leitor via como um evento especial.

Mas chegaram os anos noventa. Grandes escritores e artistas que fizeram seus nomes dentro dessas editoras acharam por bem continuar suas carreiras como empreendedores. E assim surgiram diversas novas editoras que davam maior liberdade criativa para seus artistas... e muita dor de cabeça para a concorrência. Diante desse cenário, as duas maiores concorrentes no mercado foram deixando pouco a pouco sua rivalidade de lado e, cada vez mais, mostrando encontros entre seus principais personagens, afim de arrebatar o público de seus novos rivais. E esse movimento teve seu ápice com um encontro de todos os principais personagens em uma única minissérie.

Marvel Versus DC / DC Versus Marvel aconteceu em 4 edições, não só mostrando o encontro entre esses personagens mas escritas e desenhadas por profissionais de ambas as edtoras. E, para tornar a coisa toda um evento ultramídia, as batalhas entre os heróis e anti-heróis ainda eram decididas pelo público, que opinava cada qual com sua preferência. Nerd, porém funcional.

Thor enfrentou o personagem da DC que também invocava o trovão em suas transformações... o Capitão Marvel (nome curioso... porém trata-se do personagem que grita SHAZAM para se transformar... lembra?). Uma luta coerente, pois além de ter o trovão como símbolo, Marvel ainda tinha superforça capaz de rivalizar com o deus do trovão.

Na batalha, apesar da destruição perpetrada, Thor acaba vencendo o herói da DC por um movimento tático. Para escapar dos destroços, Capitão Marvel grita SHAZAM e volta a se transformar no garoto Billy Batson. Como o corpo do menino era menor do que o do herói, isso permitiria sair de onde estava preso. Porém, ao gritar a palavra mágica novamente para se transformar no herói e voltar a luta, um raio desce até o garoto... e, como Thor é o deus do raio, trovão e tempestade... consegue facilmente controlar a direção do rajada e desacordar Billy.
*

3 comentários:

Anônimo disse...

O THOR É UM COVARDE,ELE ESTAVA APANHANDO DO CAPITÃO MARVEL QUANDO O MESMO SE TRANSFORMA NO GAROTO BILLY FOI QUANDO O THOR ATACOU E GANHOU A BRIGA.

Anônimo disse...

Foi uma luta justa e ponto!

waylan disse...

Essa foi uma das poucas lutas, se não a única que foi coerente com os personagens.
Obviamente que Thor estava em desvantagem de acordo com a lista de poderes do Marvel, já que cada letra de Shazam representa um poder (S- Sabedoria de Salomão, H- Força de Hercules, A- Coragem de Aquiles, Z- Poder de Zeus, A- Vigor de Atlas, M- Velocidade de Mercúrio), porem a falta de experiência de vida do alter-ego do Marvel, para mim contou muito.
Afinal Thor é um guerreiro e é o deus nórdico dos raios, e não um "representante" por assim dizer, como o Marvel. Realmente, mesmo o Marvel sendo teoricamente mais forte que Thor, o deus do trovão vence ele, porem não tão fácil como mostrado na revista.
Mesmo sabendo que os resultados das lutas foram decididos por voto, e não por mérito do personagem essa luta é a única que realmente me pareceu mais dentro da realidade dos personagens.
É isso.
Até