quarta-feira, 29 de julho de 2009

THOR - Parte 43

- Thor 364 a 366 (Fevereiro a Abril de 1986)

Histórias:

* "Thor Croaks" - Escrita e desenhada por Walter Simonson

* "Guess Who's Coming To Dinner, or, It's Not Easy Being Green" - Escrita e desenhada por Walter Simonson

* "Sir" - Escrita e desenhada por Walter Simonson

O Sapo do Trovão.

Desta vez é sério! Não, não se trata de uma realidade alternativa. Não, não se trata de uma revista infantil parodiando o personagem. A coisa foi séria. Muito séria! Thor, o então renomado super-herói, deus do trovão, filho de Odin... foi transformado em um sapo! Resultado das maquinações de Loki, é claro.

Vindo de Loki, a transformação de Thor em sapo poderia ser até um detalhe comum. Mas o que chamou a atenção não foi o resultado da magia, mas como o escritor e desenhista Walter Simonson conduziu a história. O que poderia parecer uma idéia absurda, acabou se tornando uma história tão empolgante quanto qualquer outra história de super-herói. E o Thor em forma de sapo acabou se tornando um clássico.

Após ser transformado em sapo, acompanhamos as aventuras do anfíbio através do Central Park. Através da licença poética utilizada pelo escritor, o leitor consegue saber o que o sapo pensa e fala, além do mesmo entendimento quando este interage com outros animais. Graças a esse recurso, a alma de herói de Thor, mesmo na forma em que se encontra, acaba ajudando um grupo de sapos a enfrentar um grupo de ratos do local. A guerra culmina com o plano dos ratos em envenenar o reservatório de água, afim de eliminar o grupo rival. Acontece que Thor, com sua mente humana, sabe que a atitude dos ratos é ingênua do ponto de vista tático. Afinal, a intenção é se livrar dos sapos, mas Thor tem consciência que o veneno, obviamente, também vai afetar a população (humana) local.

Thor/sapo consegue a ajuda (involuntária) de crocodilos que vivem nos esgotos, através de uma espécie de flautista que os controla (apesar de parecer conto de fadas, o flautista é um mutante que se esconde nos esgotos, pertencente ao grupo conhecido como morlocks). Com esta ajuda, consegue derrotar o grupo de ratos e ajudar os seus novos amigos sapos.

Mas Thor ainda é um sapo e precisa resolver sua situação. Consegue encontrar sua carruagem, puxadas por dois carneiros. Em sua forma de sapo, ainda consegue se comunicar com os animais. Os carneiros de sua carruagem o reconhecem e explicam que ele deve empunhar o martelo encantado. Na forma de sapo, Thor ergue o martelo e se transforma... em um sapo maior ainda, mas com o uniforme de deus do trovão!

Após a transformação, segue para Asgard e captura Loki, antes que o vilão assuma o posto de monarca do reino dourado (Odin havia desaparecido após um confronto com o demônio Surtur). Graças a intervenção acidental do volumoso guerreiro Volstagg, Loki acaba perdendo a fonte de energia de seu encantamento (canalizada através da espada abandonada de Surtur) e Thor volta a sua forma normal.

Uma história muito incomum, talvez a mais incomum do personagem desde sua criação... mas que se tornou uma saga inesquecível. Detalhe: Walter Simonson dedicou esta história a Carl Barks, desenhista e escritor que ficou famoso por criar as mais importantes histórias de um outro universo animal: o das histórias do Tio Patinhas, Donald e o mundo criado por Disney.
*

2 comentários:

Danilo Ramos disse...

hummm... muito interessante ! ótimo post !

Dark Marcos disse...

Pois, Danilo. Prova de que idéias inusitadas, quando bem executadas, podem render ótimas histórias.